DO AZUL...

Se a poesia de um momento me inunda a vida inteira... 
é a gruta do lago azul, em Bonito, esse momento.


Sempre desconfiei que a poesia fosse azul

a palavra poesia tem cheiro de azul
é azul como o infinito,
como o som de risos, 

azul como a melancolia de uma lágrima,
azul enfim como o nada, 
como o mundo, 
a água, 
o céu...
e sentimentos blues.

Mas fui tomada pelo espanto ao ver assim, frente a mim, a poesia em estado primordial, lagoa azul, azul, azul...






Mergulhar em seus laços, conhecer suas entranhas, sentir seu liquefeito toque em meio ao sol de setembro...



E de repente abracei-me de poiesis, 
fui poema, poesia, prosa e rima.


Em mergulhos-emoções poder tocar
e ser tocada pela própria poesia? 
Talvez lá, seja o lugar...


Um comentário:

Janice Diniz disse...

A delicadeza da tua poesia me enterneceu...Belíssimo blog.
À propósito, também uso All Star (mas sou roqueira...rs)

Abraço


(contadoradeestrelas.blogspot.com)

Licença de uso do conteúdo deste blog

Creative Commons License Este Blog e os textos aqui publicadoes estão licenciados sob uma licença Creative Commons Atribuição-Uso Não-Comercial-Vedada a Criação de Obras Derivadas 2.5 Brasil License.