Cinzas


Os dias em cinzas envolvem-se

Ruas cinzas!

Casas e prédios em cinzas!

Busco e só encontro cinzas...


O tato:

Encontra cinzas


Os olhos:

Nublam-se de cinzas


Os aromas:

Sufocam tomados de cinzas.


Ouço:

Fagulhas e cinzas.


Provo:

O des-gosto em cinzas.


E percorro em pressa descaminhos

o som alude ao chamado

E chamo: chamas!

Procuro, sem lume, em cinzas.


Mundo sem cores

Tela cinza onde não me encontro

Não há encontro

Cores furtadas de um dia lejano...


Furtivos movimentos

Imperceptíveis rumores

Restam cinzas


E em cinzas converte-se meu coração

Em cinzas morre a palavra

Morre a palavra no grafite cinza

E quando no fogo o papel transmite-se

E todo verso

.......................E toda rima

............................................E tola sina

É de novo:

Apenas cinzas.

12 comentários:

Fábio Pessanha disse...

Pelos descaminhos poéticos, o irreversível... obrigado pela visita...

0lafo (ex osvaldoso/a) disse...

hola!

gracias de corazon por los post en mi humilde blog.

estuve revisando un poco el tuyo, y aunque me costo un poco entenderlo. me gusto harto.

chao

Betha M. Costa disse...

Cara Mara,

Ainda em tom grafite um poema que colore nossas mentes e corações cotidianamente cinzas.

Bjins meus, Betha.

Renata Pitaguari disse...

Olá Tânia , já algum tempo não visita seu blog e suas belas poesias , das cinzas somos uma pesquenina parte ...
beijos

Poemas condenados disse...

A cinza é uma coisa fria que fica de um momento ardente. Belo poema- como todos. Abraços. Igor Roosevelt...

COLIBRI disse...

Voando em busca de uma fonte, observei do alto as cinzas e a atração envolveu-me e o encanto abraçou o pássaro que encantado pousou... Beijou os minutos das palavras e aqui deixa seu canto!

butterfly.¸.•*ੴ disse...

Tânia, fiquei mto feliz com tua visita e ainda mais feliz em poder ter o prazer de voar pelo teu blog. Já está nos meus vôos favoritos...
bjos de borboleta, Butterfly

Liliana disse...

A beleza não está apenas nos olhos de quem "lê". Está sobretudo, nos olhos daquele que que se esmera em transmitir em forma de palavras o próprio formato do coração. Belo blog, que fiz questão de incluir em meus favoritos. Parabéns. Espero receber sua visita em breve. Abraço.

Janice Diniz disse...

Obrigada pela visita.

Tua poesia nada tem de cinza. Por outro lado, até mesmo o "cinza" se tranforma em poesia nessa tua alquimia fantástica com as palavras. Parabéns!

Home Theater disse...

Hello. This post is likeable, and your blog is very interesting, congratulations :-). I will add in my blogroll =). If possible gives a last there on my blog, it is about the Home Theater, I hope you enjoy. The address is http://home-theater-brasil.blogspot.com. A hug.

ulysses disse...

A metamorse que transforma tudo em cinzas não deixa ileso o coração
que observa de longe um mundo cinza como um ponto final.
A imaginação poética castiga o mundo em que vive, por alguma razão não revelada, pois só assim pode ter esperança num mundo melhor a renascer das cinzas.

Anônimo disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blog.

Licença de uso do conteúdo deste blog

Creative Commons License Este Blog e os textos aqui publicadoes estão licenciados sob uma licença Creative Commons Atribuição-Uso Não-Comercial-Vedada a Criação de Obras Derivadas 2.5 Brasil License.