in-profano amor


                         a tua pro-cura
                         buscam passos
                         corpo enlaço
                         suave tato
                         des-vendando
                         corpórea poesia
                         sem tropeços
                         entre-cilios
                         dicionários

        amor-teço em traços
                        silhueta tua
e tão pálido
suspira o colo
entrevisto
entre rendas:
repouso
e oferenda

          fora apenas chuva
          e chorei
          chuva não vi
          ter-te ali
          a saciar a sede
          liquefeita saudade
          recobria-me

já de adeus
a despedida palavra
desvanecida
pele lágrimas
fonte enfim

                                   tuA
boca
                         tuO vinho
              inocente lascívia
              afogar-me-ia
              embriagada
              de tua saliva
              e de abrupto
              batalhas ferinas
              suave o pouso

                       de silêncio e boca
                       dentes-lábios
        tornozelos lascivos
        imploram beijos

                       ainda que tímidos
                       te espiem cílios

                                     noites sem ti
                           quisera adormecer
                   ad infinitun

2 comentários:

Aмbзr Ѽ disse...

de uma maestria e perfeição milimétrica

amei.

http://terza-rima.blogspot.com/

Neuromancer disse...

Gostei tanto da métrica quanto da poesia, as sílabas se ajustaram de forma perfeita e bastante peculiar no jogo de palavras, muito bom mesmo, já ganhou um seguidor, até mais!
Também visitei o "Descaminhos sombrios" gostei muito da atmosfera do blog, está de parabéns

http://intercon-x.blogspot.com/

Licença de uso do conteúdo deste blog

Creative Commons License Este Blog e os textos aqui publicadoes estão licenciados sob uma licença Creative Commons Atribuição-Uso Não-Comercial-Vedada a Criação de Obras Derivadas 2.5 Brasil License.