desencravei do céu a última estrela
houve lágrima e sangue
quando corpo estranho ela caiu

agora sim

despida de sonhos
apenas a imensidão escura
dos não-horizontes

Um comentário:

Rose disse...

Olá! Que poema lindo! disseste muito em poucas palavras. Aplausos poetisa! Seus poemas são escritos com maestria, parabéns! Seguindo para voltar, claro! Deixo o convite caso queira conhecer meu cantinho poético. Um abraço Poeta!

Licença de uso do conteúdo deste blog

Creative Commons License Este Blog e os textos aqui publicadoes estão licenciados sob uma licença Creative Commons Atribuição-Uso Não-Comercial-Vedada a Criação de Obras Derivadas 2.5 Brasil License.