Tenho esse dom de tristezas tecido no olhar

Tenho esse dom de tristezas tecido no olhar
Trançados nos cabelos alguns sonhos perdidos
Tatuado no rosto, o tempo esvoaçando

Ah, esses cachos emaranhados em melancolia
Ardem tímidos à luz e açoitam meus lábios de sede
Ao redor de minha face ocultam alguma quimera

Pressinto a tempestade que ressoa em meus seios
Procuro e nas sombras encontro-me em suspiros
Por entre nuvens cinzas natureza me envolve

É noite nos meus cílios e a chuva queima minha febre
É noite em mim e meus passos se perdem nas calçadas
É noite e não voltarei dos labirintos da eternidade

4 comentários:

Celly Borges disse...

Lindo, triste e belo...

M. D. Amado disse...

"É noite nos meus cílios e a chuva queima minha febre
É noite em mim e meus passos se perdem nas calçadas..."

Quantas e quantas vezes já me senti assim... Lindo poema, moça!

Carmela disse...

Precioso, me encantó.
Bicos.

Diego Jurado Lara disse...

Bellísimo, como siempre,Tania. Un placer leer tus versos, tan evocadores, tan susurrantes, tan ciertos.
Un beso

Licença de uso do conteúdo deste blog

Creative Commons License Este Blog e os textos aqui publicadoes estão licenciados sob uma licença Creative Commons Atribuição-Uso Não-Comercial-Vedada a Criação de Obras Derivadas 2.5 Brasil License.